Surto de infecção hospitalar no DF por bactéria multirresistente atinge HC de São Paulo

          Sexta-feira agora (08/10) o Estadão publicou matéria sobre um surto de infecção por Klebisella pneumoniae em um hospital do Distrito Federal:

http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20101008/not_imp622176,0.php

          Hoje a notícia reverberou de novo, pois o Hospital das Clínicas também está passando pelo mesmo problema:

http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20101009/not_imp622716,0.php

          O que está preocupando os médicos e as autoridades é o fato dessa LINHAGEM  de Klebisella ser MULTIRRESISTENTE, ou seja, ter uma resistência muito maior aos antibióticos usados no tratamento do que linhagens comuns de K. pneumoniae. É frequente as pessoas se referirem a essa situação como a bactéria sendo “mais forte”, mas não gosto desse termo, porque confunde resistência com virulência, que são coisas distintas; e até onde pude me informar pelos jornais, essa linhagem não é especialmente virulenta, apenas mais resistente.

          A K. pneumoniae é uma ENTEROBACTÉRIA (Família Enterobacteriaceae) que habita o intestino do homem e dos animais, mas é encontrada também no ambiente. Para quem quiser se localizar sobre a classificação dessa bactéria, sugiro o site do Manual Bergey de Bacteriologia, que é a blíblia dos bacteriologistas: http://www.bergeys.org/

          Nesta página do Manual Bergey é possível ver os volumes da coleção e acessar seus índices, o que nos ajuda a compreender a localização das enterobactérias no Reino Procaryotae: http://www.bergeys.org/pubinfo.html

Mas o índice completo pode ser visto em arquivo PDF aqui: http://www.bergeys.org/outlines/bergeysoutline_5_2004.pdf

          Um artigo de revisão e de acesso gratuito sobre a K. pneumoniae resistente às drogas pode ser visto em http://www.nature.com/jp/journal/v23/n6/pdf/7210973a.pdf

          Não é muito recente (2003), mas ao menos é de fácil acesso.