Grupo de estudos sobre tecnologia digital

No fim do ano passado o Estadão divulgou um site que se propõe a ser um grupo de estudos online para debater a aplicação de tecnologia digital à educação. O endereço é
http://www.educarnaculturadigital.org.br

Ele é mantido pelas fundações Santillana e Telefônica. Eu me inscrevi hoje. Não sei se será proveitoso, mas a proposta é interessante e a página inicial é bem construída, inclusive com um design bacana.

E, aproveitando a postagem, aqui vai um novo site de periódicos gratuitos que descobri:

http://pkp.sfu.ca/ojs-journals

O Public Knowledge Project é uma parceria entre a Faculdade de Educação da Universidade de British Columbia, a Simon Fraser University Library, a Faculdade de Educação da Universidade de Stanford e o Centro Canadense de Estudos da Simon Fraser University.

Andei olhando a lista de periódicos e ela é bem eclética: existem inúmeras revistas da área da saúde mas também sobre filosofia, história medieval, engenharia hidráulica e por aí vai. É uma listagem bem extensa. Não sei em que grau os periódicos nela coincidem com outros sites como o Directory of Open Access Journals. A conferir.

ESTA É UMA REPUBLICAÇÃO DE UMA POSTAGEM DO MEU BLOG ANTERIOR (blog.microbiologia.vet.br)

Obesidade e microbiota

Sim, o assunto é bem exótico mas não é novo, porque já saíram trabalhos relacionando microrganismos e obesidade. Mas no final de abril saiu novo relato dessa relação inusitada, com pequenas diferenças de estudos anteriores:
http://www1.folha.uol.com.br/ciencia/905599-estudos-relacionam-obesidade-a-flora-intestinal-ruim.shtml

Aparentemente, o TIPO de microbiota que “cultivamos” em nossso intestinos parece condicionar pequenas diferenças de metolismo e digestão que acabam por influenciar o ganho de peso. O assunto é interessantíssimo, mas ainda não tive chance ir atrás dos artigos originais. Detalhe impertinente: a palavra “flora” continua a ser usada em detrimento de “microbiota”.

Uma que esqueci de comentar mas é interessante por tratar de métodos de CONTROLE de microrganismos: “Luz intensa combate infecção hospitalar”
http://noticias.bol.uol.com.br/ciencia/2010/12/28/luz-intensa-combate-infeccao-hospitalar.jhtm

Fiquei curioso sobre o novo método, pois radiação UV não pode ser aplicada em locais com pessoas presentes, além de não ser penetrante, e radiação gama é impensável. Que tipo de radiação é essa que poderia ser penetrante e ao mesmo tempo não levar a efeitos colaterais na pele de seres humanos?

Por fim, uma justa promoção de uma amiga: a pesquisadora Márcia Aiko Shirakawa apareceu numa reportagem da FAPESP alertando sobre o problema do projeto da cidade de São Paulo que preconiza a pintura de todos os telhados de branco. As tintas empregadas seriam o paraíso dos fungos e nós teríamos a criação de uma megaproblema microbiológico na cidade inteira. O assunto é cientificamente interessante e afeta diretamente os moradores da capital paulista:
http://agencia.fapesp.br/13835